14 maio 2018
maio 14, 2018

Comunicado

0 Comentário

A fim de tranquilizar a população em relação ao consumo da água distribuída pela rede pública de abastecimento nos municípios atendidos pela Prolagos, a concessionária informa que a alteração no sabor e no odor percebidos em algumas localidades não oferece risco à saúde.

Essa alteração foi consequência da proliferação de algas na Lagoa de Juturnaíba, manancial onde é feita a captação de água para tratamento.

Assim que o fenômeno foi detectado, a Prolagos intensificou as análises de monitoramento em diversos pontos do sistema de distribuição e no manancial.

Os resultados dessas análises indicaram a presença de Anabaena, uma alga que libera uma substância chamada geosmina, que pode ser encontrada em determinados alimentos como, por exemplo, alguns peixes de água doce e na beterraba. A característica típica dessa substância é o cheiro de terra molhada. É esse odor que vem sendo percebido pela população em alguns pontos da rede de distribuição. A geosmina não traz risco à saúde. 

A Prolagos já tomou as medidas técnicas necessárias no processo de tratamento da água para minimizar o odor e essa redução já está ocorrendo.

Ratificamos que a água distribuída pela Prolagos está rigorosamente dentro dos padrões de qualidade e potabilidade estabelecidos pela Portaria 2914/11 do Ministério da Saúde.