Comitiva visita a Coppe/UFRJ, onde está sendo desenvolvido trabalho inédito sobre a laguna

Uma comitiva formada por pescadores, moradores da Praia do Siqueira, integrantes do movimento SOS Lagoa e da Comissão de Meio Ambiente da OAB Cabo Frio esteve nesta quinta-feira na Coppe/UFRJ, na Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro, para acompanhar de perto o estudo inédito de hidrodinâmica da Lagoa de Araruama, contratado pela Prolagos. Os visitantes foram recebidos pelo coordenador geral do projeto, professor Paulo Cesar Rosman, Ph.D. em Engenharia Costeira e professor titular do Departamento de Recursos Hídricos e Meio Ambiente da Escola Politécnica/UFRJ, e pelo especialista em Oceanologia, professor Júlio Wasserman, coordenador da Rede UFF de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. O estudo consiste na reprodução digital da Lagoa de Araruama para simular possíveis intervenções, como dragagens e abertura de canais para ações mais assertivas.

Durante a visita, os participantes conheceram as instalações da universidade, como o departamento de Oceanografia e laboratórios técnicos, e participaram de palestra sobre o detalhamento do programa. Os professores explicaram o passo a passo das coletas dos dados que estão subsidiando a reprodução digital da laguna, obtidos por meio de sensores instalados em vários pontos, registrando o nível da maré, correnteza, temperatura da água, velocidade, direção dos ventos, entre outros.  “Estamos terminando a parte de levantamento em campo e tratando essas informações para serem inseridas no programa. Nas próximas semanas faremos a batimetria da laguna (análise de profundidade) para que os cenários possam ser simulados”, explica o professor Julio Wasserman.

Os participantes esclareceram dúvidas e sugeriram outras alternativas a serem analisadas. O envolvimento da comunidade pesqueira foi destacado pelo professor Paulo Rosman. “É muito importante que a sociedade entenda o que está sendo feito aqui: a produção de uma ferramenta para testar hipóteses de ações concretas, com o objetivo de melhorar a qualidade ambiental da lagoa. Essa participação é fundamental, pois ninguém consegue mudar a qualidade ambiental de um sistema complexo como a Lagoa de Araruama se não houver efetivo comprometimento dos moradores da região”, reforça o especialista.

A iniciativa e foi comemorada pelos participantes. “Tivemos a oportunidade de ver o projeto, as ideias dos professores e, também, apresentar as nossas sugestões. Estou muito esperançoso por poder enxergar um futuro melhor, que é ver a nossa lagoa limpa”, comentou Valério Silva de Almeida, pescador e membro do movimento SOS Lagoa.

Um dos pescadores mais experientes da Praia do Siqueira, Eli da Costa Cardoso, membro da Comissão de Despoluição da Lagoa de Araruama, disse estar confiante com o projeto. “Como esta iniciativa, acreditamos que teremos uma solução técnica para resolver esse problema que existe há mais de 40 anos. Estamos todos juntos emanados em um único objetivo, que é fazer o que for necessário para a continuação da nossa vida, da atividade pesqueira e da dignidade e respeito social”.

O presidente da Colônia de Pescadores de Cabo Frio (Z-4), Alexandre Marques, também participou da visita e ressaltou a qualidade do estudo. “Estamos todos ansiosos em salvar a lagoa e sinto que estamos no caminho certo, contando com o conhecimento dos melhores professores do país. A responsabilidade pela lagoa é de todos, por isso precisamos do envolvimento das concessionárias, poder público e também da população”, finaliza.