Benefício é destinado a colonias e associações para que invistam em ações coletivas no período de defeso

Com o objetivo de contribuir com a manutenção do ecossistema da Lagoa de Araruama durante o período de defeso, entre os dias 1º de agosto e 31 de outubro, prazo em que fica proibida a pesca de todas as espécies marinhas, a Prolagos contempla os pescadores associados às instituições que atuam na laguna com a Bolsa Socioambiental. A iniciativa da concessionária tem a parceria da Câmara Técnica de Pesca.

“Essa iniciativa reflete nossa preocupação com a preservação do meio ambiente, principalmente com a Lagoa de Araruama. A Prolagos vem tomando diversas iniciativas, envolvendo o Poder Concedente, a sociedade civil organizada e a população, inclusive os pescadores, para a preservação desse patrimônio natural”, avalia o presidente da concessionária Sérgio Braga.

A parceria abrange as Colônias de Pescadores Z-4 de Cabo Frio, Z-29 de Iguaba Grande, Associação de Pescadores Artesanais no Parque das Garças Integrada de Arraial do Cabo e as Associações de Pescadores da Baleia e Pitória de São Pedro da Aldeia.

Para Cícero Vanderley Neto, presidente da Colônia Z-29, a bolsa tem sido fundamental para melhorias estruturais. “O apoio tem nos ajudado bastante. Já construímos dois cais, reformamos a Casa do Pescador, um píer e neste ano, vamos reformar o Cais da Pedra da Salga, no bairro Cidade Nova”, comentou Cícero.

A Bolsa Socioambiental no valor de R$ 120 mil é dividida entre as instituições que aplicarão a quantia em ações em prol dos pescadores, como a realização de cursos profissionais, melhorias e reformas das unidades, compra de materiais diversos, entre outros.