Concurso distribui R$ 36 mil em prêmios divididos em seis categorias: impresso, TV, rádio, fotografia, web e universitário

A Prolagos estendeu o prazo para as inscrições na segunda edição do Prêmio de Jornalismo Ambiental. Os profissionais da imprensa e universitários têm até o dia 10 de outubro para publicarem as reportagens e encaminharem a documentação para o e-mail premio.jornalismo@prolagos.com.br. Inicialmente a data limite era 30 de setembro. O Prêmio Prolagos de Jornalismo Ambiental tem como objetivo estimular a produção de reportagens sobre o saneamento e valorizar os profissionais que atuam nas cinco cidades da área de cobertura da concessionária.

A prorrogação amplia as chances de participação dos jornalistas nas cinco categorias que compõem o Prêmio: Impresso, TV, Rádio, Fotografia e Web. “Percebemos que o saneamento está, definitivamente, entrando na pauta da imprensa da Região dos Lagos, contribuindo para que a população conheça a sua importância e a relação direta com a saúde e o desenvolvimento. Para que o tema esteja no radar dos futuros profissionais, contamos com a categoria Jornalismo Universitário, estimulando a produção dos estudantes ainda em formação”, comenta Yolanda Carnevale, Coordenadora de Comunicação da Prolagos.

Além de troféus, concurso vai distribuir R$ 36 mil em prêmios em dinheiro. Os dois primeiros lugares nas categorias profissionais receberão, respectivamente, R$ 4.500 e R$ 2.500. Na categoria Jornalismo Universitário o primeiro colocado ganhará R$ 1.000. As melhores produções serão conhecidas em novembro, durante a cerimônia de premiação em data a ser divulgada. O regulamento está disponível no site www.prolagos.com.br.

Na primeira edição o vencedor na categoria Jornalismo Universitário foi o aluno de Comunicação Social na Universidade Veiga de Almeida, Rodrigo Marinho, com a matéria “Balneabilidade da Lagoa de Araruama: uma riqueza natural que atrai turistas, sustenta famílias e merece atenção”, publicada na Agência Experimental de Comunicação. O fotógrafo Thiago Freitas conquistou o primeiro lugar em fotojornalismo com a foto “Milagre dos Peixes. Na categoria radiojornalismo, o primeiro lugar ficou com Eduander Silva, da Rádio Cabo Frio, com a matéria “Reúso da água – consciência ambiental”. Em telejornalismo, Renata Igrejas ficou com a primeira colocação com “Tainha: Pesca com Tecnologia”, veiculada na Intertv. O jornalista Luciano Moreira levou o troféu na categoria webjornalismo com a reportagem Morte e Vida Hipersalina, publicada no portal Fonte Certa. No jornalismo impresso, Célio Pimentel, do jornal Hora Certa, levou o primeiro lugar com a matéria “Os impactos dos avanços dos serviços de água e esgoto no desenvolvimento urbano sustentável”.