Prolagos na luta contra o racismo estrutural

Postado por prolagos em 19/nov/2020 - Sem Comentários

No mês da consciência negra, concessionária, por meio do programa Respeito Dá o Tom, divulga vídeos explicando expressões racistas

 

O racismo estrutural é um conjunto de práticas, hábitos, situações e falas embutido no cotidiano e que promove, direta ou indiretamente, a segregação ou o preconceito racial. No mês da consciência negra, a Prolagos, por meio do comitê Gabriel da Casa da Flor, do programa Respeito Dá Tom, compartilha vídeos nas redes sociais com palavras e expressões que parecem corriqueiras, mas que carregam um teor racista. Com o mote “Racismo é crime. Racismo não. Racismo nunca.”, os colaboradores convidam a população a refletir sobre esses termos, como “mulata” e “serviço de preto”, e sugere novas palavras para substituí-los.

“Para combater a desigualdade racial é necessário começar. Por isso, neste mês, resolvemos trazer uma atitude simples que pode ajudar nesta luta: excluir expressões preconceituosas do nosso dia a dia. Precisamos fazer novas escolhas para o nosso vocabulário e lutar diariamente para que práticas e palavras que reforçam o racismo estrutural sejam abandonadas”, comenta Tayane Pimentel, que está a frente do comitê de igualdade racial da concessionária.

Contribuir para reduzir a desigualdade e fazer com que a diversidade étnico-racial da Região dos Lagos esteja representada em seu quadro de profissionais é o propósito da Prolagos, que desde 2017 conta com o programa de igualdade racial Respeito Dá o Tom, desenvolvido pela Aegea, holding de saneamento da qual a empresa faz parte.

O programa está baseado em 3 pilares em prol da Igualdade Racial: Empregabilidade, Desenvolvimento e Relacionamento. As ações vão desde rodas de conversa para informação e sensibilização sobre o tema entre os profissionais da empresa até adequações nos processos de recrutamento e seleção, com foco em ampliar a diversidade racial no quadro de trabalhadores, inclusive em funções de liderança.

Além de iniciativas voltadas ao público interno, a concessionária também promove ações afirmativas com foco na população local. Atualmente, em parceria com a Casa Scliar, mulheres do Quilombo Baía Formosa, de Armação dos Búzios, participam de oficina de cerâmica. O projeto Somos Divas na Luz do Candeeiro visa promover o empoderamento da mulher negra por meio da geração de renda e valorizar a cultura dos povos tradicionais.

Somos Divas na Luz do Candeeiro, projeto em parceria com a Casa Scliar promove oficina de cerâmica

Desde o início do programa outras ações foram desenvolvidas, como exposição Respeito Dá o Tom, na Casa Scliar, com obras de Carlos Scliar e artistas locais; a confecção do busto de Teixeira e Sousa, por conta da semana que homenageia o cabo-friense que foi o primeiro romancista brasileiro; e discussão sobre racismo nas escolas municipais com rodas de conversa conduzidas pelo rapper, compositor, roteirista, ator, produtor áudio visual, youtuber e gari carioca Jota Jr.

Em 2018, o rapper Jota Jr. conversou com alunos da escola municipal Profª Marcia Francesconi, em Cabo Frio

O programa é conduzido por um comitê formado por colaboradores de diversas áreas. Batizado de Gabriel da Casa da Flor, o grupo homenageia o aldeense Gabriel Joaquim dos Santos, filho de ex-escravizado, que trabalhou nas salinas da região, nunca frequentou a escola, e com materiais recolhidos no lixo e refugos de construções construiu a Casa da Flor, em São Pedro da Aldeia, símbolo da arquitetura espontânea.

Redes sociais da Prolagos

 https://www.facebook.com/Prolagos

https://www.instagram.com/_prolagos/

 

Prolagos apoia campanha de conscientização e divulgação das belezas da Costa do Sol

Postado por prolagos em 29/set/2020 - Sem Comentários

#EuAprendi reforça mensagem de otimismo e reflexão sobre os ensinamentos trazidos pela pandemia

Promover mudanças de comportamentos, incentivar o contato e os cuidados com a natureza, além de resgatar valores que contribuam para o desenvolvimento comunitário. Estes são alguns objetivos do projeto “Eu Aprendi”, campanha de reflexão, conscientização e divulgação das belezas naturais da Costa do Sol apoiada pela Prolagos, concessionária de serviços públicos de água e esgoto da Aegea Saneamento, com operação nas cidades de Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Iguaba Grande, Cabo Frio e São Pedro da Aldeia.

O projeto está no ar através das mídias sociais, spots nas rádios e vídeos na TV e estimula a reflexão sobre os aprendizados trazidos pela pandemia, que vem transformando a realidade de muitas pessoas. A campanha também visa reforçar que os segmentos turísticos na Costa do Sol do Rio de Janeiro estão preparados para continuar a oferecer seus serviços com excelência e segurança. Os profissionais envolvidos na área aprenderam que é fundamental receber seus clientes com os mesmos cuidados e protocolos que todos passamos a adotar no dia a dia.

A mensagem da campanha é elevar a autoestima da sociedade de maneira geral, em especial dos trabalhadores do setor de Turismo da Costa do Sol que, por quase seis meses, ficaram com suas atividades completamente suspensas. Nesse tempo, empresas e prestadores de serviço da área se prepararam para a retomada e já estão recebendo seus clientes com segurança e cuidado. “Na Prolagos, adotamos um rigoroso protocolo de saúde e segurança para nossos colaboradores e ampliamos as ações em apoio aos municípios onde atuamos, com doação de alimentos, itens de limpeza, ações de sanitização de espaços públicos, instalação de pias comunitárias, entre outras iniciativas. Fazer parte deste movimento “Eu Aprendi” reforça que estamos juntos nesta retomada, que tem que ser feita com todo cuidado e prevenção”, comenta o diretor executivo da Prolagos, José Carlos Almeida.

As belas paisagens de cinco cidades da Costa do Sol – Cabo Frio, Búzios, Arraial do Cabo, Iguaba e São Pedro da Aldeia – são os cenários da primeira etapa da ação, que consiste em vídeos e jingles nos diversos canais de divulgação. Para dar ainda mais vida às produções, personagens reais e artistas, como o casal Igor Rickli (o ator está no ar com a reprise da novela Flor do Caribe) e a cantora Aline Wirley (ex Banda Rouge), estrelam a campanha. O público também pode participar mostrando o que está aprendendo, contando suas experiências, rotinas e hábitos adotados nesse novo tempo. Os vídeos devem ser postados nas redes sociais e identificados com a hashtag #projetoeuaprendi.

Além da Prolagos, o projeto “Eu Aprendi” tem apoio da InterTV, Cabo Frio Convention & Visitors Bureau e Costa do Peró.

 

Projeto Eu Aprendi

www.projetoeuaprendi.com
@projetoeuaprendi
#euaprendi

 

Projeto ensina arte da cerâmica a mulheres do Quilombo Baía Formosa

Postado por prolagos em 24/set/2020 - Sem Comentários

Desenvolvida pelo Instituto Carlos Scliar e Prolagos, a iniciativa estimula a geração de renda por meio do empoderamento feminino

 

Fomentar a representatividade, a liberdade e a independência das mulheres moradoras das comunidades quilombolas; estimular o potencial criativo; capacitá-las à pesquisa, criação e venda das peças e apoiar na complementação da renda. Estes são alguns objetivos do projeto “Somos divas na luz do candeeiro”, desenvolvido pelo Instituto Carlos Scliar, em parceria com a Prolagos, que oferece oficina de cerâmica a mulheres do Quilombo Baía Formosa, em Armação dos Búzios.

Cumprindo as novas regras de convivência para evitar a propagação do novo coronavírus, com distanciamento, uso de máscaras e álcool em gel, elas se reúnem no jardim da Casa Scliar, em Cabo Frio, onde aprendem modelar a argila, pintar, queimar e inserir ilustrações que tratam sobre a cultura afro-brasileira. “Com a pandemia, precisamos nos adaptar para continuar próximos das comunidades, afinal, esta é uma das funções de um espaço cultural. O principal objetivo deste projeto é auxiliar na geração de renda neste período que mudou a realidade de muitas famílias, em especial, as chefiadas por mulheres”, explica Cristina Ventura, coordenadora da Casa Scliar e idealizadora do “Somos divas na luz do candeeiro”.

Além de colocar literalmente a mão na massa de argila, as alunas fazem uma imersão no universo da cultura, participam de discussões sobre patrimônio histórico nacional, arte e têm acesso ao curso Exercitando a Mentalidade Financeira, oferecido pela Academia Aegea, plataforma de educação corporativa da Aegea, grupo do qual a Prolagos faz parte. “A Prolagos tem como propósito melhorar a qualidade de vida da população onde atua, e, através dos programas de Responsabilidade Social, desenvolve ações voltadas a impactar positivamente o índice de desenvolvimento humano (IDH) dos municípios, em três frentes: saúde, educação e geração de renda. O que nos surpreende é ver em tão pouco tempo como um pequeno estímulo traz às participantes a eclosão de habilidades e atitudes criativas, sustentáveis e empreendedoras”, comenta Francine Melo, coordenadora e Responsabilidade Social da Prolagos.

Logo no primeiro encontro, as alunas vislumbraram a possibilidade de gerarem mais valor para as atividades que desenvolvem no quilombo por meio do turismo étnico ecológico, que atrai visitantes de diversos lugares do mundo. A associação promove um circuito de atividades de resgate da história e da cultura tradicional com trilhas e passeios em pontos turísticos de Búzios, como Mangue de Pedra, Ponta do Pai Vitório, Praia da Gorda, apresentações de música, de danças folclóricas e exposição do artesanato produzido pela comunidade. Para finalizar, os visitantes saboreiam um almoço e participam de uma experiência sobre a cozinha quilombola, degustando pratos típicos da culinária local.

Elizabeth Fernandes

A possibilidade de produzir os próprios utensílios foi muito comemorada pelas participantes. “Este projeto reforça a nossa própria história, pois quando criança usávamos lamparina em casa. Além disso, a oficina de cerâmica veio ao encontro aos nossos anseios, pois já queríamos trabalhar com a argila para produzir pratos, travessas e panelas para usarmos na nossa cozinha e agregar mais valor ao trabalho. Em breve, poderemos produzir os pratos onde serviremos a comida que fazemos e os visitantes ainda poderão leva-los como lembrança”, idealiza Elizabeth Fernandes, presidente da Associação dos Remanescentes do Quilombo de Baía Formosa.

O projeto “Somos Divas na Luz do Candeeiro” faz parte das comemorações do centenário de nascimento do pintor Carlos Scliar, patrono da casa museu, que representou a luminária rudimentar em diversas peças. As divas, nesta edição, são Cássia da Conceição, Eliza Fernandes, Elizete Antunes, Esília Pereira, Elizabeth Fernandes e Valquíria da Conceição. “São heroínas anônimas cujo superpoder consiste numa força imensurável para enfrentar inúmeros desafios diários, mesmo tendo sido privadas de muitos dos direitos e garantias fundamentais”, acrescenta Francine Melo.

A ação afirmativa visa dar projeção à história e cultura quilombola e está alinhada ao programa de diversidade e igualdade racial Respeito Dá o Tom, desenvolvido pela Prolagos e todas as empresas do grupo Aegea. Ao final das oficinas, as participantes receberão equipamentos e ferramentas para darem continuidade à fabricação das peças em suas casas e poderão utilizar o forno da instituição para finalizar a produção.

Prolagos apoia exposição virtual Scliar100 anos

Postado por prolagos em 17/jun/2020 - Sem Comentários

Mostra com principais obras do pintor modernista abre as atividades no ano do centenário

 

Cristina Ventura mostra seleção de cartazes

Com as visitas temporariamente suspensas ao público por conta da pandemia, a Casa Scliar, em Cabo Frio, em breve, poderá ser visitada de qualquer lugar do mundo. Para celebrar o centenário do pintor modernista, o Instituto Cultural Carlos Scliar disponibilizará a partir desse mês o passeio virtual à Casa museu Carlos Scliar. Nas paredes da sala principal a exposição “Scliar – 100 Anos”, recebe os visitantes com obras que datam desde os anos 40 até os anos 90 do século passado. A visita virtual, abre as portas da casa onde Scliar viveu cerca de 40 anos.

O tour contemplará todos os cômodos da casa, jardins e espaço educativo. O destaque está no segundo andar do sobrado onde ficam o quarto e o ateliê de Scliar, com vista para o Canal Itajuru, tema das obras do artista. As dependências da casa mantem a ambiência deixada por Scliar, sua mobília e objetos do seu cotidiano, tudo mantido exatamente como o artista deixou. O passeio virtual, estará disponível no site www.carlosscliar.com, a partir do dia 21 de junho, data em que Carlos Scliar completaria 100 anos.

Regina Lamenza, presidente do Instituto Carlos Scliar, e Cristina Ventura, Coordenadora da Casa Scliar, mostram parte da exposição

Instalação com as palavras: Leia e Pense

A mostra destaca obras em que Scliar insere frases e palavras nas telas, como “Pergunte sempre” e “Pense”, uma provocação do artista. As obras são de 1975, um período em que segundo o artista: “Queriam pensar por nós, subestimando a inteligência e capacidade do povo brasileiro”. Uma instalação com as palavras “Leia” e “Pense” impressas repetidamente reforça a mensagem. “Queremos apresentar o Scliar para além da pintura e como ele promovia a reflexão por meio da palavra associada à imagem. Ele era amigo de grandes personalidades da cultura brasileira, como Jorge Amado, Clarice Lispector, Oscar Niemeyer e Vinícius de Moraes. No acervo da instituição encontramos diversas obras, fotografias e centenas de correspondências que contextualizam o intenso diálogo entre Scliar e os principais artistas e intelectuais do século XX. A leitura é a base do conhecimento e este é o tema que abordaremos junto aos estudantes da rede pública, assim que as visitas presenciais estiverem liberadas. Enquanto isso acreditamos que o material disponibilizado na rede já servirá de apoio para as aulas realizadas on-line”, comenta a coordenadora da casa, Cristina Ventura, responsável pela curadoria da exposição.

Os jovens estudantes, como lembra Cristina, sempre foram o público alvo da bucólica casa no bairro São Bento. Na década de 1990, Scliar abria o seu jardim para os encontros do movimento estudantil de Cabo Frio. Nos últimos anos, o espaço recebeu mais de 1000 alunos da rede pública de ensino participantes dos projetos “Meu lugar, meu patrimônio” e “CaptaAção – Respeito dá o tom e Seu descarte minha arte”, este realizado em parceria com Prolagos, por meio do programa de responsabilidade social da concessionária de água e esgoto. “Nossa grande missão é o trabalho com os estudantes da rede pública, e esses projetos educativos são fundamentais para os alunos frequentarem o espaço cultural e gerar neles o sentimento de apropriação do lugar. A qualidade do acervo da instituição nos permite abordar diversos temas complementares ao conhecimento e aprendizado realizado nas escolas. O tema leitura começa a ser tratado na Exposição Scliar 100 anos, e é a base do projeto educacional que será desenvolvido junto aos estudantes da rede”, reforça Cristina.

A Casa Scliar possui um centro de pesquisa com mais de 10 mil documentos datados a partir da década de 1930. O acervo é constituído de correspondências, recortes de jornal, gravuras, periódicos, fotografias, telas, esculturas, obras literárias entre outros itens, e narra os principais acontecimentos do Brasil do século XX, fundamental para a compreensão da história e cultura nacional, trata ainda da participação do Brasil na Segunda Grande Guerra Mundial. O centro de pesquisa atende a pesquisadores e estudantes de todo o país. Para manter a integridade da coleção, mesmo durante o período de pandemia e isolamento social, são necessárias ações de conservação e prevenção. A equipe do Instituto criou uma rotina de trabalho para higienizar o acervo, aferir umidade, manuseio, catalogação, além da manutenção preventiva do próprio imóvel, tombado pelo patrimônio municipal. “Mesmo fechado para visitação, as ações de conservação do acervo não podem parar. Criamos uma rotina de tratamento, com pequenos grupos da equipe para realizar o trabalho de conservação, fundamental para garantirmos a integridade do acervo, a alma do Instituto Cultural Carlos Scliar. Nesse momento o trabalho é realizado graças a equipe de voluntários e o apoio da Prolagos, fundamental para conservação do espaço cultural”, reforça.

Em 2018, alunos do Ciep Hermes Barcelos participaram do projeto CaptaAção Respeito Dá o Tom, sobre igualdade racial

Com apoio cultural desde 2017, a Casa Scliar é uma importante parceira da Prolagos, empresa do grupo Aegea,  no desenvolvimento de projetos com foco na educação, cultura e desenvolvimento social. Entre as ações já realizadas está a exposição Respeito Dá o Tom, em função do lançamento do programa de igualdade racial do grupo Aegea e suas unidades. A mostra foi composta por fotografias, esculturas, filmes, ambientação musical e reprodução audiovisual destacando a importância da cultura afro-brasileira na formação da sociedade. O tema foi desdobrado no projeto CaptaAção, em 2018, que levou alunos do nono ano da rede pública de Cabo Frio a refletirem sobre o racismo. A atividade culminou na produção de um curta-metragem.

Participantes do Projeto CaptaAção 2019, estudantes visitam a Casa Museu e conhecem a exposição Pense

O sucesso do projeto e o vasto material permitiram a realização da segunda edição do projeto, levando estudantes dos cinco municípios da área de concessão da Prolagos a discutirem questões relacionadas ao meio ambiente, principalmente na produção de resíduos sólidos, e, ainda, a produzirem artesanato a partir de material reciclado. “A Casa Scliar é um oásis do conhecimento, seu rico acervo permite a abordagem de diversos temas e tem sido fundamental para desenvolvermos, em parceria, projetos de responsabilidade social, que estimulem o pensamento reflexivo entre os jovens a partir do acesso à cultura”, disse o gerente de Responsabilidade Social da Prolagos, Ricardo Azevedo.

Prolagos celebra a sustentabilidade na premiação do CaptaAção

Postado por Ascom Prolagos em 23/set/2019 -

 

Alunos da rede pública criam artesanato, música e filme e mostram o que aprenderam com o projeto de educação socioambiental

“Vou te contar uma história de alguns fatos de verdade, que fala sobre o lixo e também da reciclagem. Fui pro passeio da escola que era perto daqui, chegando lá era o ateliê do Carlos Scliar. Lá eles disseram um pouco sobre o descarte, que se a gente reciclar ele pode virar arte”. A primeira estrofe de Reciclando o Universo, primeiro lugar na categoria “Composição Musical”, resume como foi o projeto CaptaAção, realizado pela Prolagos em parceria com o Instituto Carlos Scliar, cuja edição “Seu Descarte, Minha Arte” encerrou sábado, na Casa Scliar, em cerimônia de premiação dos melhores trabalhos desenvolvidos pelos alunos que participaram das atividades.

Depois de passarem por uma imersão sobre sustentabilidade e consumo consciente, alunos do nono ano da rede pública de ensino dos municípios da área de atuação da concessionária foram convidados a produzirem peças artísticas para contar o que assimilaram. O resultado foi uma mostra de criatividade e sensibilidade dos jovens que depois de aprenderem, passaram a ensinar e compartilhar a mensagem de que é possível contribuir com o meio ambiente por meio de música, filme e artesanato.

Descrevendo a experiência de participar do CaptaAção e reforçando a importância da reciclagem e como a poluição está chegando ao meio ambiente, alunos da Escola Municipalizada Capitão Costa, de São Pedro da Aldeia, conquistaram a primeira posição. “Fiquei muito feliz. Na hora não consegui pensar em nada, foi uma emoção muito grande. Eu e meus amigos nos inspiramos na visita que fizemos à Casa Scliar e tudo o que foi dito na palestra e no vídeo a que assistimos que mostrava o fundo do mar. Falamos sobre poluição e reciclagem na nossa música”, comentou Matheus Martins, que contou com apoio dos colegas Gabriel da Silva e Gabriel Moreira na composição.

Primeiro lugar na categoria composição musical

Competindo na final com um vestido de luxo feito em papel jornal e um jardim sustentável com pneus, o Violão Aquático, utilizando um instrumento danificado e vidro, ganhou na categoria “Artesanato Sustentável”. Desenvolvido por alunos da E.M. Profª Dulcinda Jotta Mendes, de São Pedro da Aldeia, a peça reproduziu o fundo do mar e peixes naturais mostravam a sua funcionalidade. “A ideia inicial era fazer um violão de plástico e vidro, mas não ficou bom. A nossa orientadora sugeriu fazer todo de vidro e deu certo. O mais legal que para desenvolver este projeto ainda conheci novas pessoas na escola”, comentou Jonatha Rodrigues, que estuda no turno da tarde, que desenvolveu o projeto com Stephany de Souza, da manhã.

Primeiro lugar na categoria artesanato sustentável

Na categoria Curta-metragem, alunos da E. M. Nicomedes Theotônio Vieira, de Armação dos Búzios, fizeram um paralelo entre o crescimento de uma menina e a poluição de sua praia preferida. Para contar a história, eles utilizaram desenho feito à mão. “O CaptaAção me transformou, pois, as vezes eu tentava mudar o pensamento das outras pessoas, mas não mudava minhas atitudes. Depois dessa reflexão, tentei mudar meu modo de agir em relação ao meio ambiente. Percebo que mesmo com pequenas ações estou tendo o resultado que queria. Sobre o prêmio, não achei que fosse ficar em primeiro lugar, o que queria era mostrar a importância da conscientização sobre o cuidado com a natureza. Estou muito feliz – disse Alexia Moura, que contou com a parceria dos colegas Júlio Lage, Kaylane Linhares, Rafaela Gomes e Yasmim Mariano.

Primeiro lugar na categoria curta-metragem

De abril a agosto, centenas de alunos de Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Iguaba Grande e São Pedro da Aldeia debateram os cuidados que cada um deve ter com o meio ambiente e como o descarte irregular de lixo está afetando os ecossistemas. As atividades aconteceram na Casa Scliar, que recebeu a exposição “Pense”, instalações feitas a partir de lixo coletado na Praia do Forte, em Cabo Frio. “O CaptaAção é um dos projetos de educação socioambiental que realizamos. Ver o desenvolvimento desses alunos, a qualidade dos trabalhos e perceber como eles estão mais conscientes e preocupados com o meio ambiente, mudando não somente suas atitudes em relação ao uso dos recursos naturais, mas também influenciando as pessoas dos seus núcleos de vivência, nos mostra que estamos no caminho certo”, finaliza o diretor executivo da Prolagos, José Carlos Almeida, que participou da cerimônia de premiação.

Relação completa dos vencedores

Categoria “Composição Musical”

 1º lugar

Música: Reciclando o Universo
Instituição: E. Municipalizada Capitão Costa, de São Pedro da Aldeia
Alunos: Gabriel da Silva Cunha; Gabriel Moreira Tuzzi; Matheus Martins Silva de Almeida
Professor Orientador: Priscilla Brites Xavier Marques

2º lugar

Música: Baile da Preservação
Instituição: E.M. Nerea Esther Batista Alcoforado Natividade, de Iguaba Grande
Alunos: Elias Souza Nogueira; Jessé Neves Souza da Silva; Thiago Carboni de Oliveira
Professor Orientador: Loar dos Santos Coutinho

3º lugar

Música: Era Uma Vez
Instituição: E.M. Narciso Macedo, de Iguaba Grande
Alunos: Kamily Farias da Silva Brito; Kawan de Jesus Pereira da Costa; Marcielly Azevedo do Carmo; Maria Fernanda Pereira da Silva
Professor Orientador: Marcela Simões

Categoria “Artesanato Sustentável”

 1º lugar

Peça: Violão Aquático
Instituição: E.M. Profª Dulcinda Jotta Mendes, de São Pedro da Aldeia
Alunos: Jonatha Rodrigues Costa Ribeiro; Stephany de Souza Pereira Ferreira
Professor Orientador: Maria Lucivânia dos Santos Silva

2º lugar

Peça: Peça de Jardim Sustentável
Instituição: E.M. Narciso Macedo, de Iguaba Grande
Alunos: Kawan de Jesus Pereira da Costa; Maria Fernanda Pereira da Silva
Professor Orientador: Marcela Simões

3º lugar

Peça: Vestido de Luxo Sustentável
Instituição: E.M. Prof° Carlos Alberto Gomes de Carvalho, de Cabo Frio
Alunos: Maria Luísa Silva Souza
Professor Orientador: Cláudia Cristina Amaral de Oliveira

Categoria “Curta-metragem”

1º lugar

Curta: Final Feliz?
Instituição: Escola Municipal Nicomedes Theotônio Vieira, Armação dos Búzios
Alunos: Alexia Moura Daltro; Júlio Lage da Verdade; Kaylane Linhares de Carvalho; Rafaela Gomes Marinho; Yasmim Mariano Gomes
Professor orientador: Magno Costa

2º lugar

Curta: De Caco em Caco
Instituição: E. M. Profª Dulcinda Jotta Mendes, São Pedro da Aldeia
Alunos: Cassiane da Silva Castro; Thiago Rodrigues de Souza Silva; Stephany de Souza Pereira Ferreira; Matheus de Oliveira Perciliano; Jonatha Rodrigues Costa Ribeiro
Professor orientador: Maria Lucivânia dos Santos Silva

3º lugar

Curta: A ação humana degrada o meio ambiente
Instituição: Colégio Municipal Vera Felizardo, Arraial do Cabo
Alunos: Caio Alves Dantas; Lucas Eduardo de Oliveira; Matheus Kiffer; Wagner Luiz Cavalcanti
Professor orientador: Ana Cristina

Alunos da creche Patotinha da Aldeia aprendem a cuidar do meio ambiente de maneira lúdica    

Postado por Ascom Prolagos em 11/jul/2019 -

Diversão, brincadeira, cinema e educação ambiental. Assim foi a tarde desta quinta-feira (11) para cerca de 30 alunos da creche escola Patotinha da Aldeia, de São Pedro da Aldeia, que participaram da versão especial do projeto CaptaAção – Seu Descarte, Minha Arte. Eles visitaram a Casa Scliar, em Cabo Frio, onde está montada a exposição ‘Pense’, que faz uma reflexão sobre os cuidados que temos que ter com o meio ambiente.

Na casa museu os pequenos participaram de oficina com material reciclado, coloriram desenho com fundo do mar como tema e assistiram ao filme Wall.e, em que um robô tem a tarefa de recolher o lixo espalhado no planeta. Na oficina de mosaico os alunos montaram quadros representando animais marinhos: um peixe, uma tartaruga e um polvo azul, representando o Prolaguito, mascote da concessionária. As peças foram montadas com tampinhas de garrafas pet arrecadadas pelos funcionários em uma campanha interna.

A atividade educativa teve como objetivo despertar o conhecimento através da diversão e conscientizaar as crianças sobre os cuidados e o respeito com o meio ambiente, estimulando ações sustentáveis. “A atividade extraclasse ajuda a despertar o interesse da criança sobre o tema e faz com que aproveitem ainda mais. Eles se divertiram muito, trabalharam a criatividade e ainda aprenderam cuidar da natureza”, comentou Tainá Souza, professora da creche Patotinha da Aldeia.

Crianças colorem o desenho com o tema do fundo do mar

O polvo Prolaguito foi num dos desenhos escolhidos na oficina de mosaico com tampinhas de pet

Todos prontos para assistir a Wall.e com suco na garrafinha e pipoca

Prolagos lança segunda edição do Prêmio de Jornalismo Ambiental

Postado por Ascom Prolagos em 12/jun/2019 -

Concurso vai distribuir R$ 36 mil em prêmios entre cinco categorias profissionais e uma universitária

 A Prolagos lançou na noite desta terça-feira (11), a segunda edição do Prêmio de Jornalismo Ambiental, com o objetivo de estimular a produção de reportagens sobre saneamento e sua relação direta com a preservação da natureza, saúde pública e desenvolvimento urbano. O evento, na Casa Scliar, em Cabo Frio, reuniu profissionais de diferentes veículos de imprensa da Região dos Lagos, que tiveram a oportunidade de ver a exposição “Pense”, com obras do multiartista Carlos Scliar, que desde 1984 chamava a atenção para a responsabilidade de todos em relação à preservação no meio ambiente.

A segunda edição do Prêmio traz algumas novidades. Além dos jornalistas residentes na Região dos Lagos, diplomados e registrados no Ministério do Trabalho, poderão participar os profissionais que comprovarem a atividade no prazo mínimo de cinco anos. Poderão ser inscritas reportagens publicadas entre 1º de junho e 30 de setembro, prazo final para as inscrições. O regulamento está disponível no site www.prolagos.com.br.

Assim como na primeira edição, o II Prêmio Prolagos de Jornalismo Ambiental vai premiar as duas melhores reportagens nas categorias: jornalismo impresso, radiojornalismo, webjornalismo, telejornalismo, fotojornalismo, além da categoria Jornalismo Universitário, para alunos de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo. Neste ano, além de troféus serão distribuídos R$ 36 mil em prêmios. Entre as categorias profissionais a premiação em dinheiro será de R$ 4.500,00 e R$ 2.500,00, respectivamente primeiros e segundos lugares. Nesta edição, a categoria jornalismo universitário também receberá quantia em espécie no valor de R$ 1.000,00.

“O prêmio é um reconhecimento e valorização dos profissionais da imprensa da região e tem como objetivo colocar o saneamento básico na pauta, incentivando o debate sobre as boas práticas, além de contribuir para a conscientização da sociedade na busca da sustentabilidade. O poder de multiplicação da imprensa é muito grande e fundamental para construirmos uma sociedade melhor”, comentou o presidente da Prolagos, Sérgio Braga.

Durante o lançamento, os convidados participaram de uma oficina de serigrafia, tintando em papel reciclável o logotipo do prêmio e a #EuPauto, um estímulo para que os profissionais coloquem o meio ambiente em suas pautas. A atividade foi uma homenagem ao patrono da casa-museu, Carlos Scliar, que, entre seus ofícios estava o de artista gráfico.

A exposição “Pense” faz parte do projeto de educação socioambiental CaptaAção – Seu Descarte, Minha Arte, realizado pela Prolagos e a Casa Scliar para alunos do nono ano da rede pública. Além da mostra, o espaço recebeu instalações que provocam o despertar da consciência sobre os cuidados com a natureza, como uma rede de pesca com objetos plásticos recolhidos na Praia do Forte, uma peça interativa feita com material reciclado que mostra o tempo de decomposição de materiais como plástico e isopor, além de painéis com mensagens reforçando a responsabilidade de cada indivíduo na produção do próprio lixo. A exposição é aberta ao público.